‘Jejum intermitente’ – O que é e como pode ajudar a emagrecer?

Hi! Gosto muito de me debruçar sobre assuntos que por vezes me parecem absurdos no que toca a ‘novos super alimentos’ ou até mesmo novas dietas/estilos de vida e admito que, a primeira vez que ouvi falar sobre o jejum intermitente, achei o processo inconcebível e prejudicial para a saúde, no entanto, mudei de ideias assim que fui pesquisar sobre o assunto. Por que razão tantas pessoas aderem a este, atrevo-me a dizer, fenómeno? Primeiramente, vou explicar-vos o que é: O jejum intermitente é definido como um padrão de alimentação onde se realiza um ciclo entre períodos em que se come e outro em que se faz o jejum. Não é restritivo no que toca ao que se pode ou não comer (yey) mas sim em que alturas é que se pode comer, no entanto, é extremamente importante realizar uma alimentação equilibrada (quando digo equilibrada, refiro-me a poderem comer de tudo, mas de forma consciente para os objetivos que pretendem alcançar).
Quando não comemos durante um certo período de tempo, decorrem vários processos no nosso corpo para permitir que este não entre em falência. Os responsáveis por isso são as hormonas, genes e organismos responsáveis pela regeneração celular. (1)
Ao realizarmos o jejum, obtemos uma redução significativa da insulina e dos níveis de açúcar no sangue, bem como o aumento drástico na Hormona do Crescimento Humano – contribui para a perda de gordura e ganho muscular. (2) 
Muitas pessoas optam pela realização do jejum intermitente para perder peso – pela simplicidade e eficácia de restringir calorias e queimar gordura; pelos benefícios no sistema metabólico, pois pode melhorar vários fatores de risco e marcadores de saúde, (3) ou até mesmo pela simples conveniência que o jejum intermitente proporciona.”
Será que podemos considerar um ‘life hack’, uma vez que torna a vida mais simples, ao mesmo tempo que melhora a nossa saúde? Eu acho que sim, pois quanto menos refeições tiver que planear/preparar/comer/limpar, mais simples será a minha vida!
Existem várias formas de realizar o jejum intermitente, mas as que se tornaram mais populares ao longo dos anos tem sido estas:
– O método 16/8: (São 16 horas em jejum todos os dias e podem fazer das 22h às 14h ou das 20h às 12h, por exemplo. (4) Tentem adaptar ao vosso dia a dia;
– Comer. Pausa. Comer: Este para mim é o mais drástico, pois consiste em realizar um jejum de 24h durante 1 ou 2 dias por semana;
– O método 5/2: Durante 2 dias da semana, ingerir apenas 500-600 calorias.
Se tivermos em atenção e não comermos em demasia durante as 8h com o intuito de compensar o jejum, este método leva a uma redução natural da ingestão de calorias e ajudará a perder peso e gordura abdominal. (5)
Mas, durante o jejum, não podemos ingerir nada? Podem e devem ingerir muita água ou outras bebidas que não sejam calóricas como chá ou café sem açúcar. As pastilhas e rebuçados sem açúcar também são permitidas e ajudam bastante!

 

Decidi experimentar e no próximo mês farei um update de como o meu organismo se sentiu com esta mudança, se rccomendo e se continuarei com o jejum intermitente 😌

Um Beijito 💋

16 Replies to “‘Jejum intermitente’ – O que é e como pode ajudar a emagrecer?

  1. Eu desde sempre que fiz jejuns muito grandes, e depois almoçava e tinha um jantar muito leve, tanto que coincide à altura em que consegui emagrecer mais.. Embora me tenham dito sempre que “isto só fazia mal”

    Post, super interessante. Gostei muito.

    Um beijinho, Fancy Chica

  2. Gostei do post. Mas na altura em que fazia jejuns, por coincidência engordava, pois o pico de gulo subia muito à tarde, e só tinha tendência em comer porcarias. Dava muitas calorias ao meu corpo, mais do que ele devia consumir.
    Tive que me deixar disso.

    1. Numa fase inicial acontece, pois o corpo tende a pedir por aquilo que já está habituado. Nestas situações, o melhor é ‘enganar’ o corpo bebendo chá ou água.

  3. Gostei da postagem e o assunto dividem opinoes de especialistas uns sao vontravoutros a favor…Como tudo na vida devemos ser acompanhados por especialistas .Vale a a pena conferir…

  4. Adorei o post! De facto, um amigo meu faz e já me disse que deveria fazer. Só faz bem. Ando cada vez mais convencida de que tenho de fazer. Tenho começado a fazer aos fins de semana visto que acordo tarde e como cedo no dia anterior. Ótimo post! Mega completo! Beijinhos

    1. Boa Carolina! Acho que fazes muito bem em iniciar este estilo de vida e fazê-lo aos bocados, para assim a adaptação ser mais fácil, embora mais lenta, mas o que interessa é o produto final :p
      Um beijito!

  5. Às vezes já faço jejum sem querer, pois se não sinto fome não vou obrigar o meu corpo. Concordo que seja um bom método, mas tem que ser feito com pés e cabeça.

    Ótimo post!

    Um beijinho*

  6. Fiquei um pouco hesitante. Talvez para pessoas que sofram de tenção baixa não seja muito aconselhável (como eu), mas o que importa realçar é que é sempre necessário um acompanhamento médico 🙂

    1. Como é óbvio a recomendação de um especialista é essencial, apesar de tudo o que referi ter por base conteúdos científicos 🙂
      Um beijito!

    1. Compreendo, mas podes sempre tentar adaptar as horas de jejum com o teu horário, ou seja, em alturas mais movimentadas optas por comer, e nas outras alturas, fazes o jejum 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *